Lei é importante, mas equidade de gênero vai além da equiparação salarial, diz especialista

Nine
christina-wocintechchat-com-34GZCgaVksk-unsplash.jpg

- PATROCINADO -

A lei que estabelece regras mais rígidas a fim de garantir que homens e mulheres que exerçam a mesma função tenham remuneração equiparada foi sancionada na última segunda-feira (3).

- PATROCINADO -

À CNN Rádio, no CNN Plural, a gestora executiva do Movimento Mulher 360 Margareth Goldenberg avaliou a legislação como positiva.

“O que ela traz é a sanção, com mecanismos para apuração de transparência salarial e métodos de verificação, com publicação de relatórios das empresas com 20 ou mais funcionários”, disse.

A especialista destacou que, em caso de descumprimento, foi determinado um valor de multas, que serão de 10 vezes o maior salário da empresa em questão.

data-youtube-width=”500px” data-youtube-height=”281px” data-youtube-ui=”nacional” data-youtube-play=”” data-youtube-mute=”0″ data-youtube-id=”7Nm51VBDcls”

“Isso tudo deve dar tração importante e chamar a atenção das empresas para a questão”, defendeu.

- PATROCINADO -

Margareth, no entanto, chamou a atenção para o fato de que “a equidade de gênero vai além da equiparação salarial.”

“Ela é um desdobramento de todos os fatores culturais, incluindo o machismo, muito da desigualdade vem disso, da falta de informação”, completou.

Segundo ela, “há busca pela reversão da discriminação, e a equiparação salarial é um desses marcadores, embora a mudança cultural não aconteça no apertar de um botão, é um esforço”.

*Com produção de Bruna Sales

 

 

Compartilhe esta história
Deixe um comentário

Apoios

Baixe o Aplicativo do NINE!

Um portal que vai te apresentar experiências em Turismo, Música, Gastronomia e muito mais.

Para acessar no celular, baixe o App do NINE.

Para IPHONE,
Clique em: