O que você deveria saber sobre estresse, segundo uma médica

Nine
CNN Brasil

- PATROCINADO -

Não há dúvidas de que o estresse faz parte da vida cotidiana, mas estresse demais pode ter impactos prejudiciais na saúde física e mental das pessoas.

- PATROCINADO -

O que o estresse faz ao corpo? Quando isso se torna um problema e quais são algumas maneiras de lidar com isso? E o que as pessoas podem fazer com os fatores estressantes, como um trabalho difícil ou responsabilidades de cuidado, que não podem simplesmente desaparecer?

Para nos ajudar a responder a essas perguntas, Dra. Leana Wen, médica de emergência e professora associada adjunta da Universidade George Washington respondeu a algumas perguntas.

CNN: O que o estresse faz ao corpo de uma pessoa?

Dra. Leana Wen: Quando as pessoas vivenciam algo percebido como uma ameaça, uma variedade de hormônios são liberados que fazem o coração bater mais rápido e aumentam a pressão arterial e o açúcar no sangue. Esses hormônios também desviam a energia de outras partes do corpo, como o sistema imunológico e o sistema digestivo.

Estas são adaptações evolutivas que outrora ajudaram as pessoas a responder a situações como predadores que as perseguiam. Essas respostas de “lutar ou fugir” são normais e podem ser úteis na vida moderna. Por exemplo, eles poderiam ajudar um atleta a ter um desempenho mais rápido ou um aluno a ficar acordado para estudar para uma prova.

O problema surge quando a resposta do corpo ao estresse é contínua. Um estado perpétuo de “lutar ou fugir” pode levar a muitos problemas crônicos. Os indivíduos podem sentir ansiedade, depressão e outras doenças relacionadas à saúde mental. Eles também podem ter dores de cabeça, tensão muscular, dor abdominal, distúrbios do sono, diminuição da imunidade a infecções e problemas de memória e concentração.

O estresse crônico também tem sido associado ao aumento da probabilidade de hipertensão, diabetes, ataque cardíaco e derrame.

CNN: Todo mundo passa por estresse, então quando isso se torna um problema?

Wen: É natural que as pessoas sofram estresse devido a eventos pontuais (aqueles que têm um início claro, como o nascimento de um filho, o início de um novo emprego, o divórcio ou a morte de um familiar) que acontecem em suas vidas. O problema é quando o estresse se torna um estado crônico de ser.

Os sinais de alerta a serem observados incluem sintomas de problemas de saúde mental ou manifestações físicas de estresse – por exemplo, se alguém começar a ter palpitações cardíacas, dores abdominais ou dores de cabeça. Além disso, algumas pessoas podem tentar lidar com o estresse usando álcool ou drogas. Uma mudança no uso de substâncias pode ser um sinal de alerta de fatores de estresse subjacentes.

- PATROCINADO -

As pessoas também devem se perguntar se o stress está afetando negativamente as suas funções em casa, no trabalho e com os amigos. Alguém que se sente excepcionalmente irritado e ataca entes queridos e colegas também pode estar fazendo isso por causa do estresse excessivo.

Mudanças no comportamento podem ser sinais de estresse crônico. / Getty Images

CNN: Por que devemos estar atentos ao estresse excessivo e tentar reduzi-lo como uma prioridade de saúde?

Wen: Podemos pensar no estresse como algo modificável em nossas vidas, assim como a pressão alta ou o açúcar elevado no sangue. O fator de estresse em si pode não ser alterado, assim como não podemos alterar nossa predisposição genética para hipertensão ou diabetes. No entanto, nossa reação a isso está sob nosso controle. E é a nossa reação ao fator de estresse que determina os resultados da nossa saúde.

Se o stress tem efeitos prejudiciais para a nossa saúde, tal como a hipertensão arterial e a diabetes, então podemos e devemos procurar formas de reduzir esses efeitos.

CNN: Quais são algumas maneiras pelas quais podemos lidar com o estresse?

Wen: Primeiro, é importante esclarecer que existem maneiras boas e ruins de lidar com o estresse. Algumas pessoas podem recorrer a formas não tão boas porque elas podem ajudar a se sentir melhor a curto prazo, mas existem riscos reais. Mencionei o consumo de álcool e o uso de drogas – obviamente, essas não são estratégias de enfrentamento saudáveis. Nem a compulsão alimentar, nem o fumo.

Acho que é muito importante ter autoconsciência. Seja honesto consigo mesmo: quando você enfrentou situações estressantes no passado, você recorreu a essas formas prejudiciais de lidar com a situação? Nesse caso, fique atento e trabalhe para evitar esses comportamentos em momentos estressantes.

Além disso, tente antecipar quando haverá situações estressantes. Há um grande prazo no trabalho chegando? Uma reunião familiar que provavelmente provocará emoções negativas? Uma conversa difícil com um familiar? Saber que um evento estressante vai ocorrer pode ajudá-lo a antecipar sua reação e se planejar adequadamente.

Aconselho, também, que as pessoas façam uma lista de técnicas de alívio do estresse que funcionaram para elas no passado. E experimentem novas técnicas. Os exercícios de respiração profunda são algo que todos podem tentar e ajuda tanto no momento do encontro estressante quanto depois, por exemplo, como é a meditação.

Também sou uma grande fã de exercícios. Existem excelentes evidências científicas de que o exercício é muito eficaz no controle do estresse. O exercício reduz os hormônios do estresse e aumenta as endorfinas, que são neurotransmissores de “bem-estar” que podem relaxar o corpo e melhorar o humor.

CNN: Qual é o seu conselho para as pessoas que têm fatores estressantes em suas vidas – como um trabalho difícil ou responsabilidades de cuidar – que não podem desaparecer facilmente?

Wen: Isso é realmente difícil, porque é claro que seria ideal abordar os próprios fatores que causam estresse. Mas muitas pessoas passam por situações estressantes que não conseguem mudar.

Ajuda ser franco sobre isso e reconhecer que mudar a situação não está sob seu controle. O que está sob seu controle, porém, é sua reação à situação.

É aqui que a autoconsciência e o autocuidado são tão importantes. Aprenda a reconhecer quando você está se sentindo especialmente estressado. Talvez você sinta tensão nos músculos do pescoço e das costas, ou tenha cólicas abdominais, ou nervosismo. Estes são os momentos para praticar uma respiração profunda, meditação e outros exercícios que o ajudem no curto prazo.

Para benefícios de curto e longo prazo, é essencial reservar tempo para cuidar de si mesmo. Com isso quero dizer atividades que você gosta e que podem distrair sua mente das situações estressantes da vida. Isso pode incluir passear com um bom amigo, cuidar do jardim, brincar com seus animais de estimação, ler um bom livro ou participar de atividades que você goste.

Pense no tempo que você reserva para si mesmo como uma espécie de terapia; o estresse pode torná-lo pouco saudável, então esta é a sua maneira de se “tratar” para compensar esse estresse.

Nesse sentido, sabendo que o estresse é um fator que pode impactar o seu bem-estar, trabalhe para maximizar os demais aspectos que contribuem para a saúde geral. Tente ter um sono adequado. Procure comer alimentos integrais e saudáveis ​​e reduza o consumo de produtos ultraprocessados. Certifique-se de que outras condições médicas crônicas, como a pressão alta, estejam sendo tratadas.

E não espere para procurar ajuda de um profissional de saúde mental se o estresse que você está enfrentando estiver causando problemas físicos ou mentais contínuos.

Fonte: CNN

Compartilhe esta história
Deixe um comentário

Divulgação

50 Receitas Fitness

Curso de Massagem

Baixe o Aplicativo do NINE!

Um portal que vai te apresentar experiências em Turismo, Música, Gastronomia e muito mais.

Para acessar no celular, baixe o App do NINE.

Para IPHONE,
Clique em:

Nine Receba notificaçoes de novas histórias, notícias e experiências.
.
Ativar Notificações