Número de mulheres com sobrenome do marido cai em 53% no DF

Nine
pexels-megapixelstock-17834.jpg

- PATROCINADO -

Um levantamento da Associação Nacional dos Registradores de Pessoas Naturais (Arpen-Brasil) revela que caiu em 53,6% o número de mulheres com o sobrenome do marido no casamento. De acordo com o estudo, a escolha preferencial dos futuros casais tem sido pela manutenção dos sobrenomes de família.

- PATROCINADO -

Em 2002, época em que o atual Código Civil foi publicado, o percentual de mulheres que adotavam o sobrenome representava 68,71% dos matrimônios. A partir de então iniciou-se uma queda desta opção.

“As informações dos Cartórios de Registro Civil são um retrato fiel da sociedade brasileira, uma vez que conservam os dados primários de sua população”, diz Gustavo Renato Fiscarelli, presidente da Arpen-Brasil.

“No caso dos casamentos, foi nítido o caminhar da sociedade no sentido de maior igualdade entre os gêneros, com a mulher deixando de estar submissa ao marido e assumindo um papel de protagonismo na vida civil”, explica Fiscarelli.

Novidade introduzida pelo atual Código Civil brasileiro, a possibilidade de adoção do sobrenome da mulher pelo homem ainda não “vingou” na sociedade, representando em 2022 apenas 0,81% das escolhas no momento do casamento, percentual que atingiu seu ponto máximo em 2014, quando foi a opção em 0,87% dos matrimônios.

Compartilhe esta história
Deixe um comentário

Apoios

50 Receitas Fitness

Curso de Massagem

Baixe o Aplicativo do NINE!

Um portal que vai te apresentar experiências em Turismo, Música, Gastronomia e muito mais.

Para acessar no celular, baixe o App do NINE.

Para IPHONE,
Clique em:

Nine Receba notificaçoes de novas histórias, notícias e experiências.
.
Ativar Notificações